19/08/2019 02:25
Hábitos do dia a dia
Estresse pode causar acne

O estresse dificilmente resulta em algo bom: pode causar hipertensão, crises de dor de cabeça, sintomas intestinais, alterar a menstruação e afetar até a sua pele, unhas e cabelo.

De acordo com uma estimativa feita pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, a causa dos problemas de pele em cada um de três pacientes é emocional, como o estresse. Tanto que não é difícil encontrar pessoas com mais de 25 anos de idade, principalmente mulheres, reclamando do aparecimento de espinhas mesmo sem as terem tido durante a adolescência.

Mas como uma coisa está ligada à outra? Vamos lá: o estresse aumenta a produção de cortisol, que estimula hormônios androgênios, como a testosterona, que acionam a produção das glândulas sebáceas. Sua presença intensificada no organismo faz com que a quantidade de sebo expelida também cresça, e isso se manifesta na pele como acne.

Como tudo que envolve a pele, deve-se procurar um dermatologista. É ele que vai detectar a causa de sua acne – tanto pela aparência da pele quanto pela análise de seus relatos sobre o dia a dia, os hábitos e a alimentação, por exemplo – e pedir os exames necessários para confirmar em que nível está a alteração do cortisol. A entrada de um endocrinologista nessa etapa é uma boa ideia, pois o risco de outros aspectos hormonais estarem alterados é alto!

Durante esse período, serão receitados medicamentos específicos para harmonizar as taxas alteradas. Ao mesmo tempo é feito o tratamento tópico das lesões, com rotina de limpeza e aplicação de produtos com princípios ativos contra a acne. Além do mais, no tratamento são adotados peelings e lasers. Deve-se aderir também a hábitos simples para diminuir a tensão e até mesmo procurar a ajuda de um psicólogo para eliminar o estresse da sua vida e cortar o mal da acne pela raiz. Lembrando que o diagnóstico de acne por estresse é por exclusão, ou seja, só o médico pode diagnosticar o caso após excluir as principais causas da acne.

Vale ressaltar que além da acne, a produção de colágeno também é afetada pelo estresse. Durante um momento de mau humor ou ansiedade, o corpo prioriza nutrientes para órgãos específicos, como coração, cérebro e rins. Com menos nutrientes e oxigênio chegando à pele, ela reduz a capacidade de fazer a renovação celular e, consequentemente, de produzir colágeno, tornando a pele desidratada, sem brilho e flácida.

E não é mito! O estresse pode piorar as rugas! Com o estresse vem a liberação de radicais livres (moléculas extremamente prejudiciais ao corpo), que causam o envelhecimento precoce. Entram em cena ainda doenças autoimunes como vitiligo e psoríase. Em relação ao couro cabeludo, as consequências mais recorrentes são a dermatite seborreica (caspa) e a alopecia (queda de fios).

Por fim, quero agradecer a todos vocês pela leitura. Lembrando que fico no aguardo de dúvidas e sugestões de temas. E não deixa de me seguir no Instagram para ficar pode dentro de tudo do mundo da beleza e estética! No mais, Relax, Take it Easy!

SERVIÇO

Viviane Martins (Dermatologista - CRM-CE: 10375 | RQE: 5374)

Clínica Haim Erel

Rua Vicente Leite, 2349, Aldeota

(85) 4008.0555 / (85) 9.9795.5848

Instagram @dravivianemartins

Comentários


AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO