HOME > ENTREVISTAS > MÍDIA

Vanessa Lins: sucesso no mundo virtual

Publicado em 16/04/2019 às 16:58
Compartilhe Tweet

A nossa entrevistada da semana causa frisson no mundo off-line e on-line. Vanessa Lins dá um show quando o assunto é internet. “A média diária do brasileiro nas redes sociais é de três horas. É um tempo saudável para as pessoas também se conectarem entre si no off-line. A média de postagens no Instagram é de uma por dia. E nos stories, para não ficar muito extenso, uma postagem a cada três horas atenderá super bem o dono do perfil”, argumentou. Confira a seguir:

Como define a importância das redes sociais atualmente sob o ponto de vista social e cultural?

As redes sociais amplificam as oportunidades de relacionamentos sociais, culturais e comerciais. Com essas mídias, o compartilhamento de informações segmentadas ficou mais fácil. Assim como a composição e inclusão de nichos que se atraem pela mesma temática. Dessa forma, para se chegar a alguém ou a algum lugar que se tenha interesse, ficou mais fácil com essa conexão que as redes sociais proporcionam.

De que maneira avalia o valor do uso correto das redes sociais para a vida profissional?

A autoridade no âmbito profissional deve ser muito bem edificada nas redes sociais. O profissional deve mostrar seus projetos em andamento, os cursos que participa, os resultados obtidos em cada novo desafio... Tudo isso serve de respaldo para passar a imagem de que aquela pessoa se empenha em sua área. E, além disso, se mostra disposta em ajudar a seus clientes a construírem resultados extraordinários.

O que deve e o que não deve ser postado em uma rede social?

Vai depender muito do foco e do público que a pessoa quer atingir pelas redes sociais. Por exemplo: um profissional que quer construir a sua autoridade digital não é viável que ele poste fotos bebendo loucamente em baladas. Pois todas as imagens postadas ficarão na memória afetiva de quem vê. E isso pode ser levado em consideração em entrevistas ou na escolha de profissionais para a realização de projetos. Porém, é sempre bom não postar fotos de pessoas sem autorização de imagem, de crianças utilizando fardamento escolar ou de imagens que façam menção à violência, bullying virtual ou preconceitos. Além desses pontos, cada pessoa deverá postar o que está dentro do que ela acha correto e não invasivo para ela.

Algumas pessoas têm um perfil destinado para amigos e familiares. E um outro perfil profissional. O que você acha disso? Considera uma tendência?

Depende. Se a pessoa é um profissional liberal, o interessante é ter apenas um perfil. Pois aquele profissional não é somente uma pessoa que trabalha. Ele tem amigos, família, hábitos e animais de estimação. Logo, mostrar um pouco da vida social dele nos stories gera conexão e estreita relacionamentos com o público. E isso poderá até servir de inspiração para as pessoas que a segue. No entanto, caso haja um perfil de uma empresa, com nome fantasia e logo, o ideal é deixar esse perfil somente no âmbito profissional. E para dar leveza a essa conta, além de gerar conexão com o público, é interessante postar dicas culturais que estejam no perfil da persona e interagir com os seguidores através de perguntas e enquetes, que poderão ser utilizados nos Stickers dos Stories.

Qual o limite do uso de uma rede social?

A média diária do brasileiro nas redes sociais é de três horas. É um tempo saudável para as pessoas também se conectarem entre si no off-line. A média de postagens no Instagram é de uma por dia. E nos stories, para não ficar muito extenso, uma postagem a cada três horas atenderá super bem o dono do perfil.

Até que ponto a rede social pode interferir na vida profissional?

Na verdade, estão interligadas. Para gerar autoridade digital, é essencial a utilização das redes sociais a seu favor. No entanto, já houve vários casos de profissionais que expuseram opiniões preconceituosas no Instagram ou Twitter e foram sumariamente demitidos do seu trabalho. As redes sociais se tornaram uma vitrine dos seus atos. Logo, é importante que, antes de postar qualquer coisa, as pessoas leiam o texto, revejam as fotos e analisem se aquilo poderá ofender alguém de alguma forma. Ou se determinadas opiniões irão impactar na imagem e no propósito da marca de uma empresa na qual trabalha.

Quais as melhores estratégias pontuais para o êxito no mundo virtual?

A construção da persona e postar dicas de valor para esse público, sempre deixarão suas redes sociais ricas de conteúdo. E isso atrairá muito mais seguidores e visibilidade. Além disso, postar diariamente, fazer Stories e vídeos no IGTV também contribuem muito para o aumento do engajamento. Uma rede social que também traz muitos resultados é o Pinterest, principalmente para quem trabalha com imagem. E no âmbito profissional, é fundamental ter um perfil atualizado e com o compartilhamento constante de artigos para o seu público. O vídeo também está muito em alta. Dessa forma, fazer uma transmídia do Instagram para o canal do YouTube também é certeiro.

De que forma as redes sociais podem contribuir positivamente para fomentar uma maior conscientização cultural e ambiental?

Bingo! Temos o poder de sermos transmissores de informações com as redes sociais! Então, que tal divulgar uma campanha de projetos sociais que vise a transformação de pessoas e/ou a proteção de animais? Ou divulgar uma exposição cultural do bairro ou da cidade? Ou comentar nos seus Stories aquele filme esclarecedor que você assistiu? Já pensou se todos compartilhássemos sobre os últimos livros lidos? Que troca de experiência que poderia ser? Então, que tal começarmos isso, todos, agora? Assim, poderemos influenciar toda a nossa rede a fazer o bem e estimular a cultura e a educação. A Candowell é a mais nova rede social que começou com esse propósito.  

Para finalizar, qual sua avaliação sobre o futuro das redes sociais nos próximos anos?

Creio que, entre esse ano e o próximo, uma nova rede social irá surgir. E que essa estará relacionada a mais interações e a menos algoritmos. Além disso, o IGTV irá ganhar mais espaço, assim como outras redes sociais que apostam no bem como motor principal. Vide o exemplo da Candowell. No entanto, o mais importante é que as redes sociais proporcionem mais conexões off-line, e que essas sejam vivenciadas em sua essência. Para que a divulgação desses momentos seja apenas uma consequência natural de se querer compartilhar algo bom.


PUBLICIDADE

CONTATO COMERCIAL
(85) 3198.8888
comercial@cnews.com.br