27/12/2019 10:00
Intenção de compra do consumidor atinge maior nível desde dezembro de 2016
Entre os produtos que devem ser mais procurados, estão artigos de uso pessoal e itens para o lar

De acordo com pesquisa realizada pela Fecomércio Ceará, através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), os consumidores de Fortaleza estão confiantes no último mês do ano. O Índice de Confiança do Consumidor de Fortaleza (ICC) apresentou crescimento de +4,3%, passando de 111,7 pontos em novembro, para 116,5 pontos neste mês. A intenção de compra mostrou resultado ainda melhor, com crescimento de +11,6%, atingindo o melhor patamar desde dezembro de 2016.

A retomada do ICC se deu pela recuperação dos seus dois componentes: o Índice de Situação Presente (ISP) teve vigoroso aumento de +7,0%, passando de 107,1 pontos, em novembro, para 114,6 pontos neste mês. Já o Índice de Situação Futura (IEF) teve expansão de +2,6%, alcançando o patamar de 117,7 pontos.

A taxa de pretensão de compras teve aumento de +11,6 pontos percentuais, passando de 42,6%, em novembro, para 54,2% neste mês. O indicador trouxe o melhor resultado desde dezembro de 2016, quando foi medido em 54,6% e se mostra compatível com o crescimento verificado nos indicadores de confiança.

Entre os produtos que devem ser mais procurados, estão artigos de uso pessoal e itens para o lar, como artigos de vestuário (citados por 38,2% dos entrevistados), calçados (29,6%), Televisores (14,6%), Móveis e artigos de decoração (11,9%). O valor médio das compras é estimado em R$ 585,36, e a intenção de compra mostra-se mais elevada para os consumidores do sexo masculino (56,0%), mais vigorosa para o grupo com idade entre 18 e 24 anos (70,3%) e no estrato com renda familiar superior a dez salários mínimos (72,6%).

Empresários otimistas

A percepção do cenário pelos empresários também é boa. De acordo com a pesquisa Índice de Confiança do Empresário do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará – ICE do bimestre novembro/dezembro, realizada pela Fecomércio através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC). A Pesquisa apresentou um incremento de +1,7% no sentimento geral de confiança, com o índice passando de 99,3 pontos, no bimestre setembro/outubro, para 101,0 pontos na medição atual. 

Segundo o levantamento, o índice voltou ao campo que indica otimismo (acima dos 100,0 pontos), algo que não acontecia desde o primeiro bimestre do ano, e ficou situado acima do observado no mesmo período de 2018 (96,7 pontos). O retorno do otimismo é importante, pois tem grande relevância nas decisões de investimento e contratações do setor, reforçando o sentimento geral de esperança na retomada econômica a médio prazo.

O Índice de Situação Presente - ISP teve leve redução de -0,3%, saindo de 74,4 pontos no bimestre setembro/outubro, para 74,2 pontos no período atual. O pessimismo é influenciado pela percepção de piora nas condições gerais da economia nos últimos doze meses para 75,7% dos entrevistados. Os empresários revelam um sentimento de piora nos seus respectivos setores de atividade (88,6%) e de suas empresas (82,9%) nos últimos seis meses, sugerindo uma conjuntura desafiadora.

Já o componente Índice de Situação Futura – ISF aumentou +4,6%, passando de 124,3 pontos no último bimestre para 130,0 pontos no período novembro/dezembro, mantendo-se, portanto, no campo que indica otimismo. Colaborou para esse resultado a expectativa de momentos melhores para o setor de atividade para 81,1% dos entrevistados e a previsão de crescimento de vendas nos próximos seis meses para 85,6% dos empresários consultados.

 

Comentários


AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@GRUPOCIDADECE.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO