NOTICIAS | SAÚDE

Garrafão vencido pode comprometer saúde do consumidor

A data de validade pode ser encontrada impressa tanto no fundo, quanto próximo ao bico do vasilhame
Postado em 28/11/2019 | 19:20
Foto: Reprodução/TV Cidade

Os garrafões retornáveis de água têm prazo de validade, eles duram apenas três anos. Mas muitas pessoas não sabem, Gorete Almeida é uma delas. A comerciante recebeu um garrafão fora do prazo de validade de um fornecedor de confiança, e bebeu a água sem saber que estava colocando a saúde dela em risco e da família. A data de validade pode ser encontrada impressa tanto no fundo, quanto próximo ao bico do vasilhame. Na compra de um novo, ou mesmo quando solicitar a troca, fique sempre atento ao prazo de validade do galão. 

SOBRE O ASSUNTO

Garrafões de água têm duração máxima de três anos

Fiscalizações apreenderam mais de 300 garrafões de água

É fundamental estabelecer prazo de validade porque, além de os galões se desgastarem por fora - com o transporte, possíveis pancadas e calor -, a própria lavagem por dentro também pode provocar certas rachaduras, que comprometem a higiene e, consequentemente, fazer o material soltar resíduos que podem fazer mal à saúde, explica Rafael Zambelli, engenheiro de alimentos. 

Situações como a que passou a dona Gorete ocorrem porque os consumidores acabam não sabendo da validade, mas, principalmente, porque a fiscalização nos pontos de venda ainda é branda, e isso faz muitas pessoas receberem garrafões vencidos, aponta Ricardo Lopes, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Águas Purificadas (Abinap). 

Em Fortaleza, maior consumidora de águas engarrafadas do Estado, a responsabilidade de fiscalizar é da Agefis. Porém, de acordo com o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Águas Purificadas, o controle deixa a desejar. O consumidor que receber garrafão vencido deve exigir a troca imediatamente ao fornecedor. Se houver negativa, a recomendação é denunciar ao Procon Fortaleza.

Leia a nota da Agefis sobre o assunto: 
A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) fiscaliza a venda de garrafões de água mineral e adicionada de sais em duas situações:
- para a fiscalização nos estabelecimentos específicos de venda desse tipo de produto, a Agefis está articulando uma operação especial a ser deflagrada no próximo mês, em novembro, quando o novo Código da Cidade entrará em vigor e será aplicado nessas ações na verificação dos licenciamentos;
- já em supermercados, mercadinhos e outros estabelecimentos comerciais que vendam garrafões de água juntamente com outros tipos de produtos, a fiscalização é rotineira e contínua.
As irregularidades relacionadas ao comércio de garrafões de água são descumprimentos à Lei Municipal nº 8.222/1998. A multa para esses casos pode chegar a R$ 17.102,00, de acordo com a gravidade da infração e reincidência. No momento da fiscalização, poderão ser também impostas medidas administrativas, tais como apreensão e inutilização dos produtos, interdição.
Denúncias
A fiscalização municipal pode ser acionada pela população por meio de três canais de denúncia: o aplicativo Fiscalize Fortaleza (disponível para Android e IOS), o site e o telefone 156.

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@GRUPOCIDADECE.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO