NOTICIAS | POLÍCIA

Namorado afirma que empresária já havia tentado se matar

Em entrevista exclusiva, o homem admitiu que a relação do casal era conflituosa por conta de ciúmes da vítima
Postado em 04/10/2019 | 15:13
Aldemir participou do Cidade 190 e deu sua versão sobre a morte da empresária. (Foto: Lucas Memória)

O advogado Aldemir Pessoa Júnior, apontado como autor do disparo que resultou na morte de Jamile de Oliveira Correia (47), sustenta que a versão de suicídio, contestada pela família da vítima. Em entrevista exclusiva ao Cidade 190, o homem admitiu que a relação do casal era conflituosa por conta do ciúmes da vítima, mas não havia agressões físicas. O suspeito ainda revelou que a empresária já tinha tentado se matar. 

Segundo Aldemir, Jamile não tinha proximidade com a própria família, por isto, os parentes não conheciam o advogado. Em um dos poucos encontros com pessoas ligadas à vítima, o suspeito foi informado que a companheira já tinha tentado suicídio. "Ela já tinha tentado se matar outras vezes", revela. A mulher teria sido levada para um hospital para fazer uma lavagem intestinal. 

O suspeito pontuou que o relacionamento com Jamile começou meses após o fim de seu casamento. Por isto, ainda tinha pendências referentes ao divórcio. "A gente não tinha senha no celular, era um acordo nosso", lembra. A empresária teria visto mensagens entre o advogado e a ex-mulher, gerando uma discussão. "Ela tinha um comportamento muito ciumento", garante Aldemir. 

Leia também: "Ciúme excessivo", aponta advogado sobre conflito com Jamile 

                         Carro em que empresária foi agredida não pertence a advogado

                         Polícia deve pedir quebra de sigilo bancário de casal

No dia em que Jamile foi baleada, os dois estavam em um restaurante de um shopping no Papicu, após uma passagem ao Detran, onde afirma ter colocado o veículo que dirigia em nome da empresária. O carro foi liberado esta semana pela Polícia Civil. No restaurante, viu alguma mensagem no celular do suspeito, iniciando a discussão. A marca encontrada pela Perícia Forense no rosto da mulher aconteceu, segundo Aldemir, quando ela tentou pular do veículo em movimento. As imagens que mostram a discussão do casal, segundo o investigado, aconteceram quando ele tentou cuidar do machucado e levar a vítima ao hospital, mas a empresária recusou. "Nesse momento ela [Jamile] disse 'eu vou resolver a minha vida'. Ela mudou a face", relembra o advogado. 

Após a morte da namorada, Aldemir afirma que sua vida mudou. "Eu tô numa tsunami. Meu nome foi jogado à lama", lamenta. O suspeito, no entanto, nega qualquer outra versão que não seja suicídio, postura mantida pela defesa. "Não trabalhamos com teses e estratégias, mas fatos", crava Rogério Feitosa, advogado do companheiro de Jamile. Ele também negou a contratação de perito particular para emissão de novo laudo. "Apenas aguardamos e colaboramos com as investigações", finaliza. 

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO