NOTICIAS | CEARÁ

Pai afirma que dançarina foi alvo de tentativa de chacina

Famílias das vítimas garantem que houve truculência na abordagem policial
Postado em 05/07/2019 | 18:16
Dançarina cearense foi morta no interior da Bahia. (Foto: Arquivo pessoal)

O pai da dançarina Gabriela Amorim, João Bosco, recebeu a TV Cidade Fortaleza na tarde desta sexta-feira (5), em Fortaleza. A jovem de 25 anos foi morta durante a madrugada, em abordagem policial no município de Irecê, interior da Bahia. Para o familiar, a filha foi vítima de uma tentativa de chacina realizada por policiais militares da Bahia. 

A dançarina está entre os integrantes da banda Sala de Reboco que foram atingidos por policiais militares. Além da artista, um sanfoneiro, a cantora e outra bailarina estavam no veículo, todos feridos. O corpo de Gabriela, única vítima fatal, deve ser transferido para Fortaleza nas próximas horas. Ela morava no bairro Parque Santa Maria. 

A família do sanfoneiro Possidônio Júnior, baleado na perseguição, também acompanha o caso. Segundo Rosângela Mendes, prima do músico, foi "uma ação despreparada de abordagem policial". Ele deve passar por uma cirurgia e corre risco de perder a perna. A parente afirma que a mãe do artista viajou para Bahia, onde deve prestar assistência a Possidônio. Para a família, os policiais foram "covardes". 

No carro em que a banda estava, marcas de balas foram encontradas. No momento da abordagem, o motorista e uma dançarina estavam nos bancos da frente, enquanto Joelma Rios (vocalista), Possidônio e Gabriela estavam no banco traseiro. Os tiros foram disparados pela parte traseira. 

Em nota divulgada mais cedo, a Polícia Militar da Bahia confirmou que os disparos foram efetuados contra o carro, mas ressaltou que a ação aconteceu após o veículo furar bloqueios policiais. "Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas no interior do automóvel. A guarnição imediatamente acionou o Samu que socorreu um homem, ferido na perna, e uma mulher, para o Hospital Geral de Irecê, onde a mulher não resistiu ao ferimento", diz trecho da nota. A família do sanfoneiro informou não ter ciência sobre as garrafas no carro. A cantora Joelma Rios, ainda na Bahia, não atendeu as ligações. 

"Vamos parar de julgar", diz Joelma Rios

Joelma Rios, vocalista da banda, estava no carro alvejado pelos policiais militares. (Foto: Arquivo pessoal)

Vocalista da banda Sala de Reboco, Joelma Rios também está entre as vítimas da perseguição policial. Ainda na Bahia, onde acompanha os desdobramentos do caso, a cantora foi procurada durante toda a tarde pelo Cnews, mas não falou sobre o assunto. Em publicações nas redes sociais, a artista pediu respeito às vítimas e familiares. "Tem muita gente que fala o que não sabe", disse. "Vamos parar de julgar, condenar", suplicou. 

Com informações de João de Albuquerque, da TV Cidade

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO