NOTICIAS | POLÍCIA

Falta de estrutura prejudica solução de crime

Policial militar foi morto em dezembro, em uma pedreira. Seis meses depois, morte ainda não teve desfecho
Postado em 14/06/2018 | 14:06

Foto: Arquivo pessoal

Enquanto muitos já pensavam nas reunições de fim de ano, a família do sargento Marcos Aurélio de Oliveira Cunha chorava por sua morte. O militar foi assassinado em 6 de dezembro, em uma pedreira na cidade de Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza. Seis meses se passaram, mas até o momento, o crime ainda não teve desfecho. Os suspeitos continuam foragidos. Para o irmão da vítima, Júlio César Cunha, a falta de estrutura das forças de segurança são o principal empecilho para a solução do caso. 

"O doutor Renado [delegado] é o responsável pelo andamento das investigações. Ele é super responsável, responde mensagem até de madrugada, se puder. Mas a DHPP tem suas limitações e isso atrapalha muito", lamenta o irmão. Para o familiar, a limitação de pessoas e estrutura da Polícia Civil e da Perícia Forense, atrasam o andamento do caso e podem fazer com que outras pessoas também sejam vítimas dos criminosos. "O meu irmão teve a vida ceifada por quatro indivíduos e até agora, nada foi resolvido. Será que vão esperar que outras famílias sejam destruídas?", desabafou. "O que acontece é que mais gente pode ser vítima desses criminosos. É de suma importância falar isso. Meu irmão foi um caso, mas outros também podem existir", completou. 

Segundo o irmão, os envolvidos conheciam a estrutura da empresa. Conseguiram entrar, ir onde tinha dinheiro e depois fugiram. Quatro são procurados. Ainda segundo o familiar, cerca de R$ 50 mil foram levados. 

A vítima ainda foi socorrida para o hospital de Itaitinga, mas não resistiu e morreu. Três suspeitos ainda foram detidos, mas liberados pouco tempo depois por falta de provas. 

Em nota, a Polícia Civil informou que o inquérito que investiga o caso está em andamento. "Uma reprodução simulada dos fatos foi realizada no intuito de simular os acontecimentos narrados pelas partes envolvidas na investigação. Mais detalhes serão divulgados em momento oportuno, para não comprometer o andamento dos trabalhos policiais".

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO