NOTICIAS | POLÍCIA

Diretores e coordenadores de presídios são afastados no CE

Operação foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (16)
Postado em 16/04/2018 | 15:54

Sete servidores públicos, entre agentes penitenciários, diretores de unidades prisionais e coordenadores da Secretaria de Justiça do Ceará (Sejus), foram afastados de seus respectivos cargos durante uma operação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), e da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), na manhã desta segunda-feira (16), em Fortaleza.

Durante a operação, dois servidores foram presos em flagrante por porte ilegal de arma. Foram apreendidos celulares, computadores, armas e munição de uso restrito e uma grande quantidade de documentos.

De acordo com a decisão judicial, os servidores ficarão afastados de suas funções pelo prazo de 60 dias, e estão impedidos de terem acesso aos sistemas da Sejus pelo mesmo prazo.

Segundo o ministério público os suspeitos participariam ativamente da tomada de decisões relevantes no sistema penitenciário até mesmo como a permanência no cargo ou afastamento de pessoas alheias à associação criminosa. Agentes penitenciários recebiam até R$ 1 mil para entregar aparelhos telefônicos a presos.

Além do delito de associação criminosa, o ministério público ainda identificou a prática de outros crimes, como tortura e a facilitação da entrada de celulares no presídio, segundo os promotores o que acontecia era uma comercialização de aparelhos celulares nas unidades prisionais.

A “Operação Masmorras Abertas”, deflagrada na manhã de hoje (16), pelo MPCE, apura denúncias de corrupção dentro do sistema penitenciário do Ceará e associação criminosa formada por agentes penitenciários e ocupantes de cargos estratégicos na estrutura organizacional da Sejus.

As investigações começaram em maio de 2016, logo após a crise do sistema penitenciário de 2015, agravada pela greve dos agentes penitenciários.

O nome da operação faz referência ao fato dos presos do Ceará terem fácil acesso a telefones celulares, inclusive smartphone. Entramos em contato com a Sejus, mas até a publicação desta matéria não obtivemos respostas do órgão.

Confira abaixo os nomes dos suspeitos afastados na Operação Masmorra:

- Edmar de Oliveira Santos*, agente penitenciário e coordenador da Coordenadoria do Sistema Penal;

- Celso Murilo Rebouças de Mendonça, agente penitenciário e coordenador adjunto da Coordenadoria do Sistema Penal;

- Herlano Walquer Falcão Macieira*, agente penitenciário e diretor da Casa de privação provisória de Liberdade II;

- Paulo Ednardo Oliveira de Carvalho, agente penitenciário e coordenador de Patrimônio da Secretaria de Justiça e Cidadania;

- João Augusto de Oliveira Neto, agente penitenciário;

- Mauro César Ximenes Andrade, agente penitenciário e diretor adjunto da Casa de Privação Provisória de Liberdade I;

- Francisca Celiane de Almeida Celestino, agente penitenciária e diretora do Centro de Triagem e Observação Criminológica (CETOC).

* Presos por porte ilegal de arma

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO