NOTICIAS | POLÍCIA

Suspeito pode ter usado nome da vítima para fazer dívidas

Um mês após o crime, o ex-namorado de Stephanie Brito continua foragido
Postado em 08/02/2018 | 18:49

Foto: Arquivo pessoal 

Há um mês, Stephanie Brito (22) foi brutalmente assassinada e seu corpo foi abandonado às margens da Lagoa do Mondubim, em Fortaleza, sendo visto, horas antes, na traseira de uma motocicleta, conduzida por Francisco Alberto Nobre Calixto Filho (24), ex-namorado da vítima e principal suspeito de torturar e cometer o assassinato. O homem, no entanto, ainda não foi preso, apesar de existir um mandado de prisão em aberto. Francisco ainda é apontado pela família da vítima, como autor de dívidas que teriam sido feitas em nome de Stephani, após o óbito. 

De acordo com Rosilene Brito, mãe da jovem, a situação foi denunciada por um familiar, após uma consulta ao nome da vítima, no sistema de credores. Há registro de compras que teriam sido realizadas após a morte de Stephanie. "Nós ainda estamos acompanhando. Vou à Receita Federal pedir mais detalhes", disse ao CNEWS, antes de participar do Sede de Justiça, na TV Cidade Fortaleza. 

Em entrevista ao jornalístico, Rosilene afirmou que a confirmação é mais complicada por não ter muitos documentos da filha. "Eu só tenho a identidade dela. Não tô com o CPF, não tô com o título de eleitor, não tô com mais nada dela", lamentou a familiar, que ainda apura o uso do nome de Stephanie para a construção de um prédio comercial. "Não tenho mais contato com ninguém da família [de Alberto]. E não tô preparada para ter", desabafou.

Em nota, a Polícia Civil do Ceará informou que as investigações "estão a cargo da Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (DDM-Fortaleza). Equipes da delegacia especializada estão em diligências visando capturar o suspeito, que foi identificado e desde o dia 05 de janeiro, está com um mandado de prisão preventiva em aberto". 

Denúncias

A Polícia Civil reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ou para o telefone da DDM, em Fortaleza, pelo número (85) 3101-2495. O sigilo é garantido.

Números

Stephani foi uma das 59 mulheres brutalmente assassinadas durante o mês de janeiro no Ceará. Durante o ano passado, segundo levantamento da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram registradas 359 vítimas de feminicídio em todo o Ceará. 

Manifestação
Para relembrar o caso e pedir que o suspeito não fique impune, familiares fizeram um protesto, no fim de semana, no Aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza. Segundo Rosilene, a ideia é que o caso não fique impune e que a família tenha "um pouco de paz". 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO