NOTICIAS | POLÍCIA

Mãe de Débora comenta prisão de suspeito: "Só quero justiça"

Danielle de Oliveira desmentiu versão do suspeito e disse nunca ter trabalhado como flanelinha
Postado em 14/04/2017 | 19:25

A mãe da menina Débora Lohany esteve nos estúdios da TV Cidade na tarde desta sexta-feira (14), onde concedeu uma entrevista exclusiva ao Cidade Alerta Ceará. Ao deputado e apresentador Ronaldo Martins, Danielle de Oliveira revelou que não conhece o homem preso acusado de matar sua filha. 

Danielle garantiu que já havia visto Walderir Batista dos Santos trabalhando como flanelinha perto de sua casa, mas que nunca conversou com ele.

Ele trabalhava no viaduto da Raul Barbosa e eu já vi ele algumas vezes, mas não é meu conhecido e nem de ninguém da minha família. Essa história que ele pegou a minha filha pra se vingar da gente por ponto de venda de flanelas é mentira, pois eu e meu marido nunca trabalhamos com isso”, revela Danielle, que atualmente trabalha bordando camisetas.

Sobre um possível envolvimento com o tráfico, Danielle falou que tudo não passa de boatos nas redes sociais. “Essa história surgiu na internet, eu nem tenho Facebook. Nem eu e nem ninguém da minha família usamos drogas e meu companheiro mora comigo, ele não está preso como andaram falando”.

A mulher ainda falou sobre os motivos que levaram o suspeito a assassinar sua filha. “Ele matou minha filha por pura maldade. Dias antes da Débora desaparecer, ele havia pego uma menina que mora perto da minha casa e tentado beijar ela. As pessoas viram, bateram nele e chamaram a polícia, mas ele foi liberado pro falta de flagrante. Ele quis se vingar das pessoas que bateram nele e pegou a minha filha, foi a primeira criança que ele viu na rua e pegou”

Por fim, Danielle revela que espera ser feita justiça no caso. “Eu tenho quase certeza que ele estuprou minha filha, nenhum homem desses pega uma criança só pra matar. Eu espero que ele não consiga a liberdade e fique preso por muito tempo. Tenho fé que a polícia vai descobrir toda a verdade e vai ver que eu não tenho nada a ver com isso como as pessoas estão falando, eu jamais mataria minha filha. Se eu pudesse eu faria justiça com minhas próprias mãos”

Prisão

O suspeito de matar a menina Débora Lohany é natural de Belém, mas morava em Fortaleza com o irmão. Ele foi preso na última quinta-feira (13), em Parnaíba, no Piauí, cidade onde reside seus pais. Walderir Batista dos Santos já possui uma extensa ficha criminal. Segundo informações repassadas com exclusividade ao Portal Cnews, o homem é investigado por dois homicídios, duas lesões corporais, diversos assaltos, ameaças e até ocultação de cadáver

O Cnews descobriu que foi aberto um inquérito policial contra Walderir no último dia 7 de abril por homicídio doloso (quando há intenção de matar), exatamente dez dias após o desaparecimento da criança.

Entenda

Débora sumiu no último dia 27 de março, enquanto brincava com amigos na avenida Raul Barbosa, em Fortaleza. De acordo com o relato de testemunhas, a criança foi levada por um homem sem um dos braços para um matagal e desde então, não foi mais vista. Buscas foram realizadas pelas forças de Segurança e populares, mas nada foi encontrado.

Corpo encontrado

Na última semana, o corpo da criança foi encontrado em meio ao lixo, no cruzamento entre a avenida Pontes Vieira com Via Expressa, em Fortaleza. O laudo apresentado esta semana aponta que a causa da morte de Débora foi traumatismo craniano. O resultado do exame coincide com o depoimento de Walderir, que revelou aos policiais da DHPP que assassinou Débora com uma pedrada na cabeça.

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO