NOTICIAS | POLÍCIA

Pais devem pesquisar na hora de comprar o material escolar

Caneta, régua e cola são os produtos que apresentam a maior carga tributária
Postado em 11/01/2017 | 17:37

Todo ano é sempre a mesma coisa. Livrarias mais movimentadas que o normal, pais com as listas em mãos e a seguinte tarefa: tentar economizar na compra do material escolar.

Caneta, lápis, borracha, caderno, estojo, lancheira, agenda, cola, papel, esses são itens básicos de uma lista de material escolar, e teoricamente deveriam custar mais barato já que são indispensáveis. Mas não é bem assim.

O material escolar até poderia pesar menos no bolso dos consumidores se não fossem os impostos, mas infelizmente eles existem e fazem uma grande diferença.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), em 2017 a carga tributária vai estar presente em todos os itens, e em alguns, ela equivale a quase metade do preço do produto. É o caso da caneta. A carga tributária presente neste material é de 47,49%.

Atrás da caneta, o produto que apresenta mais carga tributária é a régua com 44,65%, seguida pela cola, com 42,71%, e o estojo escolar, com 40,33%.

Todos esses encargos são embutidos nos preços dos produtos apenas para pagar os tributos federais, estaduais e municipais. A criançada não entende essa questão e acabam querendo sempre o material escolar mais bonito, que, na maioria das vezes, é o mais caro.

E pra satisfazer o gosto dos pequenos e tentar diminuir os gastos, driblando os altos preços, a dica é a boa e velha pesquisa. Outra dica valiosa pra economizar neste começo de ano é optar pelas feiras para comprar os livros didáticos. Um shopping da Capital realiza pelo segundo ano seguido uma extensão da feira que acontece na Praça dos Leões, no Centro da Cidade, e tem sido um sucesso.

 

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO