ESPORTES | BRASILEIRÃO SÉRIE A

Derrota cá, derrota lá

Jogando bem, mas perdendo. Essa é a realidade dos times cearenses na Série A, principalmente nesta 15ª rodada
Postado em 19/08/2019 | 06:45

Por Eumar Lima


Foto: Leonardo Moreira

O Fortaleza recebeu o Internacional de Porto Alegre ainda na tarde de sábado. Atmosfera boa, estreia do técnico Zé Ricardo, além de vir de vitória fora de casa. A animação da torcida se refletiu dentro de campo, já que o Tricolor de Aço começou com tudo. E manteve o nível durante todo o primeiro tempo, criou chances, atacou incisivamente, principalmente pelas laterais, com jogadas na diagonais. Isso aconteceu muito pela mudança de esquema, do tradicional 4-2-4 de Ceni, para o 4-3-3 de Zé Ricardo, o que deu amplitude de movimento entre os jogadores do setor ofensivo. O destaque da primeira etapa foi Edinho, que fez de tudo um pouco. Méritos para Danilo Fernandes que garantiu o empate sem gols.

O segundo tempo foi absolutamente todo do Inter. Com a posse de bola e ofensividade, o Colorado viu o ritmo do Leão cair e não deu outra: partiu pra cima. De tanto martelar, o time visitante conseguiu o gol. Para tentar o empate, Zé mandou a equipe para o ataque. O time terminou a partida no 4-1-4-1, mas sem tanto ímpeto ou criatividade. O que deixou a torcida irritada e não era pra menos. Jogando em casa e contra o time alternativo no Inter - que visa as competições de mata-mata -, pontuar, pelo menos, era necessário.

O Ceará também teve uma parada duríssima na rodada e com um agravante, jogando fora de casa. Enfrentar o São Paulo é sempre complicado, imagina fora de casa, na estreia de um dos maiores jogadores da atualidade, Daniel Alves, que vestiu a 10.


Foto: Felipe Santos/cearasc.com

O início de primeiro tempo parecia que seria uma supremacia do Tricolor. Não foi. Pelo contrário, o Ceará mostrou toda a solidez tática, principalmente defensiva, que vem sendo marca do time de Enderson Moreira. A primeira etapa foi cheio de toma lá, dá cá. E as nuances do jogo acabaram sendo melhor para o São Paulo que conseguiu furar o bloqueio Alvinegro com uma jogada com participação dos dois estreantes: Juanfran "começou" e Dani Alves finalizou marcando o gol. No tradicional 4-4-2 do Vovô, o destaque da primeira etapa foi Samuel Xavier, que apareceu algumas vezes como elemento surpresa, mesmo quase todo mundo sabendo dos devaneios ofensivos do jogador.

O segundo tempo foi de altos e baixos. O time paulista começou melhor, assustou duas vezes, mas perdeu força após os 15 minutos iniciais. Foi quando o Alvinegro de Porangabuçu ressurgiu. Criou, tentou e teve lance polêmico - mais uma vez! -, e mais uma vez o VAR não deixou a torcida cearense satisfeita. Felippe Cardoso recebeu toque de Volpi - pra mim, foi pênalti - mas a arbitragem, com todo o aparato tecnológico, deixou passar.

Enderson tentou mudar, fazer o time sair do "buraco", sobretudo o psicológico, depois de mais uma marcação contestável, mas nada de tangível aconteceu no restante da partida. Apresentação regular do Vovô, mas com derrota difícil de engolir. 

LÍDER
O Santos foi a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro para tentar aumentar a vantagem na liderança. O time de Jorge Sampaoli só não espera o ímpeto do time Celeste, na estreia de Rogério Ceni, recém-chegado do Fortaleza. Logo no início ficou com um jogador a menos, aí Ceni colocou o time ainda mais pra frente, jogando quase que sem volante e cheio de opções ofensivas. A vitória na estreia veio. 2 a 0. Fred, voltando a marcar após 15 jogos, e Thiago Neves, fizeram os gols. Mesmo assim, o Santos continua líder. Mas a vantagem é de apenas dois pontos em relação ao Flamengo vice-líder. 

CLÁSSICO DOS MILHÕES
Por falar em Flamengo, o milionário time comandado por Jesus - o Jorge, não o Cristo -, não tomou conhecimento do Vasco e aplicou uma goleada de 4 a 1, em Brasília, mas comando do Vasco. Gabigol duas vezes, Bruno Henrique e Arras(xxxxx)caeta - como falam os cariocas - fizeram os gols do Urubu. Castán descontou.

UM PRA CADA LADO
A arbitragem errou e o Grêmio empatou um jogo que parecia ser do Palmeiras. O Alviverde abriu o placar bem cedo, criou inúmeras chances para ampliar, mas não o fez. O Grêmio, que nada tem a ver com isso, foi lá e empatou. Resultado ruim para ambos os lados.

AT(H)LÉTICOS
No encontro do Athletico do Paraná com o Atlético mineiro, melhor para o time paranaense. Cirino marcou o único gol da partida e fez o rubro-negro encostar no G-6. Já a equipe mineira se mantém entre os quatro melhores, apesar da derrota.

TIMÃO E FOGÃO
O Corinthians parou o embalado Botafogo. Com gols de Boselli e Everaldo, o Timão venceu e convenceu. O time paulista se aproxima da briga por G-4. Já o Botafogo voltou a perder, após três partidas e se mantém no meio da tabela.

JOGO BONITO SIM. RESULTADOS, NÃO
Em pleno Maracanã, o Fluminense perdeu para o CSA, time que está na zona do rebaixamento há bastante tempo. O Flu finalizou 32 (!!!) vezes, mas não conseguiu marcar. O time cria, tem posse de bola, controla as partidas, mas não consegue potencializar os bons jogos. Fernando Diniz, agora mais que nunca, está ameaçado de perder o emprego, já que o time entrou na zona do rebaixamento.

RUIM PROS DOIS
Bahia e Goiás empataram em 1 a 1, na Fonte Nova. O Esmeraldino até saiu na frente, mas cedeu o empate mesmo tendo um jogador a mais desde o início do jogo. 

CLÁSSICO CATARINENSE
Após oito jogos sem vencer, Chapecoense bate o Avaí, no clássico catarinense. Com gol de Everaldo - sempre ele! -, a Chape chegou aos 13 pontos e se aproxima do primeiro time fora da zona da degola. Já o Avaí está há 18 jogos sem vencer.

 
VEJA TAMBÉM
 
 
 
 

AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@TVCIDADEFORTALEZA.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO