22/12/2019 02:32
CONVÊNIO ENTRE EMBRAPA E BANCO CENTRAL PROPORCIONARÁ AMPLIAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DO ZARC

No dia 11 de dezembro de 2019, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), a qual faz parte do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), firmou acordo com o Banco Central que objetiva ampliar e modernizar o Zarc (Zoneamento Agrícola de Risco Climático) pelo período entre 2020 e 2022.

Este acordo visa além do aprimoramento metodológico, a atualização global do Zarc, bem como a ampliação do zoneamento climático que contempla mais 20 culturas.

O montante do investimento gira em torno de R$ 28,5 milhões para o período citado, os quais sairão da Embrapa e do Banco Central.

Serão beneficiados produtores que hoje são atendidos pelo Proagro, Seguro Rural e do Garantia-Safra. Todos os que usam o zoneamento para serem beneficiados pela cobertura securitária.

Conforme a Embrapa, o convênio permitirá a ampliação de processamento do zoneamento de mais cinco culturas de forma simultânea, além de melhorar a integração e a capacitação de mais equipes da Embrapa, o desenvolvimento técnico das metodologias para zoneamento de algumas culturas, bem como o zoneamento de produtividade. Assim se espera cada vez mais apoio de precisão aos plantios, minimizando os riscos climáticos adversos.

Hoje, vários agentes financeiros colocam como condicionante para a liberação de créditos rurais, as recomendações vindas do Zarc.

Na ocasião, o chefe substituto do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro do Banco Central, José Luis Guerra Silva, enfatizou que serviços com o Zarc, são ferramentas preponderantes para o aprimoramento da produção agrícola em nosso País.

Para o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, a atualização do Zarc, entra em consonância com o trabalho desenvolvido pelos produtores do Brasil.

Previsões do convênio:

 - Melhor adaptação da capacidade técnica da Embrapa para se estruturar modelos e procedimentos do Zarc;

- Digitalização full dos sistemas de informação e comunicação;

- Atualização dos setups de quantificação de risco e modelagem apropriada para culturas já zoneadas ou adaptação de metodologia para novas culturas e sistemas de produção com diferentes níveis de manejo;

- Atualização das bases de dados meteorológicos utilizados no Zarc;

-  Manutenção e atualizações da versão Android do aplicativo Zarc Plantio Certo e desenvolvimento e disponibilização da versão IOS;

- Criação de um sistema via web para consulta de resultados de Zarc por empreendimento e município em substituição ao modelo atual de publicação de tabelas no Diário Oficial;

- Estruturação de um novo sistema de classificação de solos para o Zoneamento e critérios de enquadramento de áreas/empreendimentos.

Qual o verdadeiro objetivo do Zarc?

É dirimir ao máximo possível, os riscos relacionados a climatologia e apoiar o produtor na identificação da melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

A ferramenta tem como base elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Os produtores agrícolas se obrigam a seguir as indicações do Zarc caso desejem contratar recursos do crédito rural, da agricultura familiar e do seguro rural.

O Zarc foi publicado pela primeira vez na safra de 1996 para o trigo. Hoje contempla os 26 estados e o Distrito Federal, incluindo mais de 40 culturas.

 

 

 

Comentários


AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@GRUPOCIDADECE.COM.BR
SIGA O CNEWS
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO