01/09/2019 02:31
A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DE CUSTOS NO AGRONEGÓCIO, PARA SE ATINGIR OS RESULTADOS ESPERADOS.

Planejar e gerenciar, são geralmente tarefas pouco praticadas entre os produtores rurais, e que exigem muita disciplina. São essenciais para o sucesso do negócio, tendo em vista todos os investimentos necessários para se fazer girar a produção.

Todos sabemos que a produção agrícola está exposta a variáveis não controláveis como fatores climáticos e fatores mercadológicos de grande volatilidade.

Esse conjunto de situações, obriga ao empresário rural a possuir, além de uma excelente gestão técnica em sua produção, um aprimorado planejamento e controle quase cirúrgico de todas as suas despesas, dos seus custos e de suas receitas.

Meu amigo produtor, vamos falar um pouco, sobre como se pode atuar para se ter esse planejamento e esse controle em suas mãos.

 

O Primeiro passo é o PLANEJAMENTO

O Planejamento agrícola é de longe, uma das principais ferramentas utilizadas pelas fazendas que conseguem extrair os melhores resultados financeiros de seus plantios.

Ao iniciar o ano agrícola, se deve fazer uma programação da lavoura, ou seja, definir as áreas de cada cultura, bem como seus custos por hectare e sua produção esperada. Além de definir os fluxos das atividades com os seus respectivos custos.

Na sequência, todas as atividades operacionais, deverão ser definidas em cada talhão e devidamente registradas. Para que quaisquer imprevistos e desvios, possam ser detectados e algumas ações corretivas possam ser tomadas a tempo.


Fonte: Agência Embrapa de Informação Tecnológica - EMBRAPA

 

O Segundo passo é o REGISTRO DAS MOVIMENTAÇÕES DIÁRIAS

Ao se fazer a aquisição de qualquer peça para implementos, insumos agrícolas e outros itens que sejam requeridos pela produção, bem como pela manutenção da propriedade, estes devem ser registrados especificando: data, fornecedor, descrição do item, quantidade e valor. Sugerimos que, para se ter uma visão de gestão mais objetiva, se crie um PLANO DE CONTAS simples. A devida ordenação das contas no plano de contas, possibilitará inclusive a geração de relatórios objetivos, classificados por período, o que lhes permitirá a análise gradual de suas receitas e despesas, independente da natureza destas, para que se possa comparar com o quê foi planejado.

 

O Terceiro passo é o REGISTRO DAS ATIVIDADES REALIZADAS NAS CULTURAS

É de suma importância que, todas as atividades de manejo realizadas, sejam claramente registradas, detalhando a sua data de realização, o tipo de atividade, a extensão da área que foi trabalhada medida em hectares, os insumos e as quantidades aplicadas. Assim como as máquinas e os implementos que foram utilizados nas tarefas. Muito importante o uso do horímetro do início ao término de cada atividade, bem como a devida anotação.

 

O Quarto passo é o GERENCIAMENTO DOS CUSTOS DAS MÁQUINAS

O uso de máquinas constitui uma parte expressiva nos custos de produção, e o gestor rural possui uma capacidade de intervenção direta sobre estes. O que se torna bem mais difícil quanto aos custos de insumos e aos preços de venda da produção.

Logo é imprescindível, que se tenha um acompanhamento detalhado sobre as manutenções realizadas, o combustível consumido e as horas trabalhadas. Assim será possível detectar máquinas que expressam custos acima dos esperados, bem como detectar a má utilização de peças.

 

O Quinto passo é a ADMINISTRAÇÃO DOS ESTOQUES DA FAZENDA

Acompanhar os estoques é fundamental para se evitar ficar com dinheiro parado. Estoque é investimento, mas é necessário se saber até quando se deve manter o estoque para não perder a oportunidade de o transformar em dinheiro. Assimile o seu acompanhamento de estoques, da mesma forma com que você, acompanha as suas contas de caixa e bancárias. Registre sempre o que entrou e o que saiu, bem como para onde foi. Tudo de uma maneira que seja possível fazer um inventário a qualquer instante, e que se verifique se as quantidades disponíveis estão dentro do esperado.

Assim, será possível verificar quaisquer desperdícios ou desvios dos itens que estejam estocados.

 

O Sexto passo é a ANÁLISE

Após termos registrado diariamente as movimentações financeiras, as movimentações de máquinas e de estoques, conseguiremos gerar relatórios com os valores movimentados, com visão pelo Plano de Contas, custos das máquinas após manutenções e combustíveis, bem como seus respectivos custos por hora de operação. Assim conseguiremos checar se os saldos e movimentações de insumos e peças, que estão no estoque, conferem com o esperado.

Agora teremos como comparar as apurações com os valores planejados, e poderemos identificar possíveis desvios e suas causas.

 

Fizemos aqui apenas um pequeno roteiro para que você possa fazer a gestão financeira da sua fazenda. Evidentemente, na medida que você for evoluindo em seus controles, poderemos agregar mais etapas para aperfeiçoarmos a sua gestão, como por exemplo, a criação de planos de rateios para dar mais precisão aos custos de produção.

O que vale a pena mesmo é começar o seu gerenciamento, mesmo que de uma forma mais simples.

Comentários


AV. DESEMBARGADOR MOREIRA 2565
DIONÍSIO TORRES CEP: 60.170-002
FORTALEZA-CEARÁ | FONE: (85) 3198.8888
CNEWS@GRUPOCIDADECE.COM.BR
SIGA O CNEWS
Facebook Google Plus Twitter Youtube Instagram
COMO ANUNCIAR
DESENVOLVIMENTO